Plataforma Nilo Peçanha é lançada nesta quinta-feira (15), no MEC

O Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) acompanhou na manhã desta quinta-feira (15) o lançamento da plataforma Nilo Peçanha (PNP), no Ministério da Educação (MEC). O recurso tem como objetivo reunir dados completos da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, e subsidiar a avaliação dos processos educacionais, a fim de estimular a qualidade educacional e tornar mais eficiente a gestão dos programas e das políticas públicas na área.

A plataforma vai compilar dados sobre docentes, estudantes, técnicos-administrativos e de gastos financeiros da Rede Federal, atualmente formada por mais de 640 unidades em todo o País. Esses levantamentos vão embasar o cálculo dos indicadores de gestão monitorados pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do MEC.

Representando o Conif, o reitor do Instituto Federal de Brasília (IFB), Wilson Conciani, participou do evento e se posicionou sobre a novidade: “a transparência dos dados é sempre importante. A ferramenta surge para complementar o Sistec [Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica], ou seja, é um avanço do que já tínhamos. É um recurso que chega em uma hora que precisamos. Agora, estou na expectativa da segunda etapa da plataforma, que vai permitir acompanhar os desempenhos das nossas instituições.”

Para auxiliar o desenvolvimento do projeto foi instituída a Revalide, uma rede colaborativa que ficará encarregada pelas informações da PNP - ela é composta por responsáveis pelo registro acadêmico local (RA) de cada instituição da Rede, diretores e pesquisadores institucionais dessas unidades, dirigentes máximos (reitor ou diretor) e a Diretoria de Desenvolvimento da Rede Federal da Setec.

Fizeram parte da mesa do evento a secretária de Educação Profissional e Tecnológica, Eline Nascimento, o diretor de Desenvolvimento da Rede Federal, Romero Raposo Filho, e o coordenador do projeto, Gustavo Henrique Moraes.

Segundo Moraes, a PNP é uma ferramenta que garante “confiabilidade” a quem vai ter acesso. “Todos os dados têm registro administrativo, sem exceção. Não tem aluno, professor, técnico ou algum dado financeiro que não esteja registrado em um sistema oficial”, explicou. Ele ressaltou, ainda, que a plataforma pode ser acessada por qualquer pessoa, o que é uma “grande revolução”: não precisa se cadastrar para visualizar as informações.

Assessoria de Comunicação

Conif

(61) 3966-7202

Please publish modules in offcanvas position.