Ministério da Justiça busca apoio da Rede Federal para ampliar ações de segurança pública

O diretor-adjunto de Políticas de Segurança Pública do Ministério da Justiça (MJ), Ronney Augusto Matsui Araújo, participou da 92ª Reunião do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) nessa quarta-feira, 20/2. A agenda teve o objetivo de expandir a parceria com a Rede Federal para combater a criminalidade no País.

Considerando a capilaridade da Rede Federal e a participação das instituições no processo de mudança social, Mitsui propôs a ampliação de ações conjuntas como a abertura de novos cursos de capacitação continuada para operadores da segurança pública, a expansão do curso de Tecnólogo em Segurança Pública, a criação de mais especializações na área, a oferta de formação cidadã para a comunidade, além da participação da Rede em grupos de pesquisa sobre violência e segurança pública, realizando diagnósticos locais.

O representante do MJ destacou ainda o papel da educação para a redução da violência, especialmente no que se refere à prevenção. “A segurança pública não é apenas uma questão de polícia, e precisa dos institutos federais”, disse. “Por isso queremos inserir os IFs na solução desse problema”, afirmou.

Integrantes do colegiado relataram alguns projetos que já estão em andamento e apresentaram sugestões a serem desenvolvidas – entre elas, o aumento da oferta de capacitação para os gestores da segurança pública e outras possibilidades que utilizem a Educação a Distância (EaD) como ferramenta.

De acordo com Mitsui, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) tem interesse em desenvolver, investir e apoiar a implementação de projetos de educação e tecnologia na área de segurança pública, reconhecidos como estruturantes. Para isso, foi sinalizada a assinatura de um acordo de cooperação técnica entre o Conif, o Ministério da Educação (MEC) e o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJ).

Também participaram da reunião o coordenador de Políticas para a Sociedade, Cel. José Guerra, e o coordenador nacional de Altos Estudos em Segurança Pública, Comt. Rocha Pitta, ambos do MJ.

Estatísticas – De acordo com o Atlas da Violência 2018, o Brasil registrou 62.517 homicídios em 2016, taxa 30 vezes maior que a da Europa, além de que, nos últimos dez anos, 553 mil pessoas perderam suas vidas devido à violência intencional no Brasil.

O Relatório “Custos Econômicos da Criminalidade no Brasil”, da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, aponta que o Brasil está entre os 10% de países com maiores taxas de homicídio e concentra cerca de 14% dos homicídios do mundo.

Lena Marinho

Assessoria de Comunicação

Conif

(61) 3966-7202

Please publish modules in offcanvas position.